Projeto desenvolvido por professores e alunos aplica técnica a favor da sociedade

Nesta segunda-feira, as quadras do Campus Natal-Central do IFRN foram tomadas por muitos visitantes curiosos, vindos da comunidades interna e externa. A curiosidade tem motivo: os trabalhos desenvolvidos para a EXPOTEC 2017. São muitos os temas e áreas do conhecimento, mas, em todos eles, há sempre a preocupação em melhorar a vida em sociedade e a relação dela com o meio em que vive.


Dentro do mesmo contexto, o projeto “Samanaú”, da DIATINF (Diretoria Acadêmica de Gestão e Tecnologia da Informação), coordenado pelo professor Moisés Souto, aplica tecnologia a fins socioambientais. Uma das vertentes do projeto é o “Samanaú PCD”, uma espécie de estação criada para coletar dados ambientais como pressão atmosférica, umidade, radiação ultravioleta, intensidade luminosa, índice pluviométrico. A partir dessa coleta, o projeto analisa as condições ambientais de determinado lugar.  A estação, que será instalada no Bosque do Campus Natal-Central, captará as condições ambientais do local para compará-las ao de um ambiente em que não há a presença de vegetação.

“O objetivo é perceber e comparar as condições climáticas de um local com e sem vegetação, inclusive teremos estações instaladas também em outros campi do IFRN. Esse projeto é realizado em parceria com O INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais)”, explica o aluno Saulo Daniel, do curso de Análise de Desenvolvimento de Sistemas. 

O “Samanaú” se desmembra em outras duas pesquisas. Uma delas se caracteriza por utilizar a tecnologia de softwares para medir e monitorar, inclusive em sala de aula, assim como em outros ambientes do Campus Natal-Central, o gasto de energia elétrica. Esse monitoramento objetiva observar e conscientizar os alunos assim como os servidores sobre o uso sustentável de energia elétrica. De acordo com o estudante Saulo Daniel, através desse controle sobre o uso, é possível mapear as áreas de utilização e refletir sobre o uso responsável dessa energia. 

Numa terceira ramificação, o projeto “Samanaú Nuances” utiliza a tecnologia da biometria para medir pressão arterial, batimentos cardíacos, índice galvânico da pele, entre outros. Além dos fins hospitalares, os alunos também aplicaram a tecnologia da biometria para o controle do estacionamento do Campus Natal-Central. O “Acess Control. IOT” monitora a disponibilidade de vagas de garagem assim como a entrada e saída dos automóveis, além de fazer a leitura de dados biométricos para controle do acesso de pessoas visitantes e autorizadas. 

FONTE: https://portal.ifrn.edu.br/campus/natalcentral/noticias/expotec-2017-a-tecnologia-a-servico-do-meio-ambiente

A tecnologia a serviço do meio ambiente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 5 =